© 2013 mari_c. All rights reserved.

SÁBADO 10 AGO :: BARULHO EM OSASCO

Mais uma vez Barulho.Org invade Osasco. Cidade na qual Jorge Kuriki e Marcio Black cresceram e onde, há alguns anos, já faziam festa.

Não é retorno com sentido de nostalgia. É volta com desejo do passado, da infância vivida, dos primeiros amores...afetos.

Nada melhor do que fazer isso com amigos:

Radio Oz 
João Pilha 

"O regresso, em grego, diz-se nostos. Algos significa sofrimento. A nostalgia é portanto o sofrimento causado pelo desejo insastisfeito de regressar. Para esta noção fundamental, a maior parte dos Europeus pode utilizar uma palavra de origem grega (nostalgia) e, além disso, outras palavras com raízes na sua língua nacional: añoranza, dizem os espanhóis, saudade, dizem os Portugueses. Em cada língua, estas palavras possuem um matiz semântico diferente. Muitas vezes significam apenas a tristeza causada pela impossibilidade de regresso ao país. Recordação dolorosa do país. Recordação dolorosa do lugar. O que, em inglês, se diz: homesickness. Ou em alemão Heimweh. Em holandês: heimwee. Mas trata-se de uma redução espacial de grande noção. Uma das mais antigas línguas europeias, o islandês, distingue bem dois termos: söknudur: nostalgia no seu sentido geral; e heimfra: recordação dolorosa do país. Os Checos, a par da palavra nostalgie vinda do grego, têm para a noção o seu próprio substantivo, stesk, e seu próprio verbo; a mais comovente expressão de amor checa é: "Stýská se mi po tobe": tenho nostalgia de ti; não posso suportar a dor da tua ausência. Em espanhol, añoranza vem do verbo añorar (ter nostalgia), que vem do catalão enyorar, derivado, por seu turno, da palavra latina ignorare (ignorar). A esta luz etimológica, a nostalgia aparece como o sofrimento da ignorância. Tu estás longe, e eu não sei o que te acontece. O meu país está longe, e não sei o que lá se passa. Certas línguas têm algumas dificuldades com a nostalgia: os Franceses só podem exprimi-la por meio do substantivo de origem grega e não têm verbo para ela; podem dizer je m'ennuie de toi, mas o verbo s'ennuyer é fraco, frio e, seja como for, demasiado ligeiro para um sentimento tão grave. Os alemães raramente utilizam a palavra nostalgia na sua forma grega e preferem dizer Sehnsucht: desejo do que está ausente; mas Sehnsucht pode visar de igual modo tanto o que foi como o que nunca foi (uma nova aventura), e por isso não implica necessariamente a ideia de um nostros." [Milan Kundera - A Ignorância]

Página do evento no FB

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked:*

*