5 – NADA SE PARECE COMO ANTES

Desprovidos de qualquer proteção artificial, continuam descendo a ladeira em direção a ponte, caminhando pela cidade incompreensivelmente fragilizada. No começo do vale percebem um alvoroço numa das ruas adjacentes. Se fosse qualquer outro dia, teriam desviado o seu trajeto pra evitar quaisquer complicações e poder chegar a tempo de fazer qualquer outra coisa que teriam que fazer. Mas como não era um dia qualquer, resolveram seguir adiante.

É tanta confusão na gritaria das pessoas que não entendem o que se passa. Percebem que as palavras vão de encontro a um banco de portas fechadas, com seguranças fazendo proteção aos funcionários sem sucesso em suas explicações. As expressões de pânico emblema o slogan do banco, a rede está fora do ar.

“Como eu não tenho dinheiro? Meu saldo está positivo, e preciso do meu dinheiro.”

“Vocês estão roubando nosso dinheiro, depositei tudo que eu tinha aí dentro pra guardarem?”

Em meio à confusão encontra num canto Cristina.

“Que acontece por aqui?”

Eufórica, sem saber se é por encontrar rostos conhecidos ou por estar no meio daquilo tudo, Cristina conta sua história. “Saí de casa como todo mundo, sem entender nada. Resolvi ir comer alguma coisa na padaria que estava sem sistema. Só aceitavam dinheiro. Vim até o banco na esperança de conseguir alguma coisa, mas sem sucesso. A confusão já tava armada, o circo já estava em chamas. Eles não podem realizar saques, porque nenhum dos computadores funciona, não tem como saber quem tem e quem não tem dinheiro, por isso fecharam as portas. To sem um puto e o dinheiro que eu tenho ta aí dentro.”

“Vamo sair daqui. A gente ta começando uma caminhada. Ficar aqui na porta não vai adiantar nada.”

Os três se distanciam da confusão para atravessar o rio. O sistema financeiro deixou de existir. Tudo que o computador um dia falou que você possuía, era mentira, porque naquela sexta feira, a energia que o alimentava não está mais presente. A virtualidade do sistema não tem mais a combustão necessária pra continuar existindo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *